Às Vésperas Do Carnaval, Cope Faz Mega Operação Contra Tráfico De Drogas Às Vésperas Do Carnaval, Cope Faz Mega Operação Contra Tráfico De Drogas  uma Mega Operação Foi Realizada Nesta Quinta-feira (8) Pelo Centro De Operações Policiais Especiais (cope) E Mobilizou Dezenas De Policiais No Litoral Do Paraná, Às Vésperas Do Carnaval, Com O Apoio Do Bope (batalhão De Operações Policiais Especiais), Unidade De Elite Da Polícia Militar, E A Denarc (divisão De Narcóticos).

Às vésperas do Carnaval, Cope faz mega operação contra tráfico de drogas Às vésperas do Carnaval, Cope faz mega operação contra tráfico de drogas  Uma mega operação foi realizada nesta quinta-feira (8) pelo Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) e mobilizou dezenas de policiais no litoral do Paraná, às vésperas do Carnaval, com o apoio do BOPE (Batalhão de Operações Policiais Especiais), unidade de elite da Polícia Militar, e a Denarc (Divisão de Narcóticos). Três pessoas foram presas em flagrante e três assinaram termo circunstanciado, por posse de menor quantidade de drogas.A polícia também cumpriu 20 mandados de busca e apreensão, em residências que tinham ligação com o tráfico de drogas, homicídio e posse ilegal de arma de fogo. Foram apreendidos ecstasy, LSD, MDMA, maconha e cocaína, R$ 1 mil reais provenientes do tráfico e um revólver, além de pássaros silvestres.As investigações tiveram início após denúncias da população.Leia mais:Policial é baleada durante tentativa de assalto no litoral do ParanáTiroteio em boate termina com dois baleados em São José dos PinhaisBancário paga R$ 300 mil pelo resgate da mulher e dos filhos no Paraná 

A semana toda eles estão aqui e ninguém consegue usar”, destaca. No local apontado pelos turistas, dos quatro banheiros públicos apenas um tinha informe alertando para uso exclusivo de guarda-vidas. O restante não tinha indicação de exclusividade, mas estavam trancados. Já em relação aos banheiros públicos que são fixos na orla da praia, outro problema. Não há placas ou qualquer outro tipo de sinalização que indique a existência desses conjuntos, formados por dois banheiros femininos, um masculino e outros dedicado para cadeirantes. O casal Patrícia e Fábio, por exemplo, não sabiam que esses espaços são disponibilizados para os banhistas. Situação semelhante à do gerente de marketing Renato Jah, de 35 anos, que veio de Maringá e que passou aperto nas areias de Caiobá por não saber que existia uma alternativa aos banheiros químicos trancados. “Com tanta gente assim, não sei por que não abrem.

são josé dos pinhais